Bio

Exposições coletivas

2015 – A Curious Blindness – Curators: Vivian Chui, Tara Kuruvilla and Doris Zhao – The Wallach Art Gallery, New York
2015 – Terra Comunal / Marina Abramovic + MAI – Curador: Marina Abramovic e Paula Garcia – SESC Pompeia, São Paulo
2014 – The artist is an explorer – Curador: Marina Abramovic – Beyeler Foundation, Basel
2014 – Red Night – Curadores: Robert Wilson – Triennale Design Museum, Milan
2013 – Arquivo Vivo – Curadoria: Priscila Arantes – Paço das Artes, São Paulo
2013 – 7 Bienal El Museo del Barrio – Curadoria: Chus Martinez / Rocío Aranda-Alvarado / Raúl Zamudio – El Barrio Museum, New York
2013 – O corpo é o meio – SP-Arte – Curadoria: Mariana Lorenzi, São Paulo
2012 – Open Houses – Watermill Center – Walter Mill, New York
2012 – The Big Bang : The 19th Annual Watermill Center Summer Benefit – Walter Mill, New York
2011 – 17º Festival Internacional de Arte Contemporânea Videobrasil_SESC – SESC Belenzinho, São Paulo
2011 – Performa Paço – Paço das Artes – Curadoria: Lucio Agra, São Paulo
2010 – 6a Edição da Mostra Anual de Performance – Galeria Vermelho, São Paulo
2010 – Galeria Expandida – Luciana Brito Galeria – Curadoria: Christine Mello, São Paulo
2009 – Variação – Escola São Paulo – Curadoria: Nancy Betts, São Paulo
2009 – Mostra de video – Faculdade Santa Marcelina, São Paulo
2008 – Virada Cultural – SESC 24 de Maio, São Paulo
2008 – Projeto Tripé Video – SESC Pompéia, São Paulo
2007 – www.florenceantonio.com – Escola São Paulo, São Paulo
2007 – Homens trabalhando – Construção da Triptyque, São Paulo
2007 – www.florenceantonio.com – Casa dos Macacos, São Paulo
2007 – Mostra de Vídeo – Faculdade Santa Marcelina, São Paulo
2007 – Mostravideo Itaú Cultural – Curadoria: Marcos Moraes, Belo Horizonte/ Belém do Pará
2005 – Vorazes, grotescos e malvados – Paço das Artes – Curadoria: Christine Mello, São Paulo
2004 – Casa dos Doces – Unicamp – Curadoria: Regina Johas, Campinas
2004 – Projeto Anita, D.A. – FAAP – São Paulo
2003 – Hotspot – Faculdade Anhembi Morumbi, São Paulo
1999 – Performance – Show de Wilson Sukorski – Sesc Vila Mariana, São Paulo
1998 – Performance – “Mundão” – Sesc Santo Amaro, São Paulo
1997 – Performance – Arte Cidade 3 – Fábrica Matarazzo, São Paulo

Curadoria

2018 – A Possible Island? – Bangkok Art Biennale + MAI – Curadoria: Paula Garcia e Serge Le Borgne – BACC, Bangkok – Thailandia
2018 – SP-Arte – Curadoria do programa de performances – São Paulo – Brasil
2017 – Projeto Meio-Fio – Curadoria dos artistas: Alexandre Heberte, Linn da Quebrada e Tasha e Tracie Okereke – SP-Arte, São Paulo – Brasil
2017 – SP-Arte – Curadoria do programa de performances – São Paulo – Brasil
2016 – As One – NEON + MAI – Curadoria: Marina Abramovic, Serge Le Borgne e Paula Garcia – Benaki Museum, Athens – Greece
2015 – Terra Comunal / Marina Abramovic + MAI – Curadoria: Marina Abramovic e Paula Garcia – SESC Pompeia, São Paulo – Brasil
2014 – PerformaPaço – Combinações – Curadoria Paula Garcia e Corrine Fitzpatrick – Paço das Artes, São Paulo – Brasil
2010 – Galeria Expandida – Assistente de curadoria de Christine Mello – Luciana Brito Galeria, São Paulo – Brasil

Residência Artística

2012 – International Summer Program – Watermill Center – Walter Mill, New York – USA

Documentário

2016 – Produziu documentário – Corpo Ruído – Direção Gustavo Almeida e Realização Mão Direita
2012 – Participou do documentário “Shoot Yourself” – Direção: Paula Alzugaray e Ricardo Van Steen

Formação

2007/2009 – Mestrado em Artes Visuais – Faculdade Santa Marcelina, São Paulo – Brasil
2002/2005 – Graduação em Artes Plásticas – Fundação Armando Álvares Penteado, São Paulo – Brasil
1996 – Michael Howard Studio – Performing Arts, New York – USA
1993/1995 – Teatro Escola Célia Helena, São Paulo – Brasil

Outras atividades

2016 – Produtora Associada do filme: The space in Between – Marina Abramovic e Brasil
2014/2015 – Colaboração e coordenação das exposições de Marina Abramovic no SESC em São Paulo
2012 – Produziu objetos no Brasil para duas exposições de Marina Abramovic: The Abramovic Method (PAC) e With closed eyes I see Happiness (Lia Rumma Gallery) em Milão.
2011 – Professora no curso de pós-graduação Práticas Curatorias e Gestão Cultural na Faculdade Santa Marcelina em São Paulo.
2011 – Produção de três livros da Coleção Fórum Permanente
2008/2010 – Coordenadora dos projetos de Arte Visuais do Centro Cultural da Espanha em São Paulo – AECID
2007 – Publicação na Revista Eletrônica Faqmagazine – Edições 4 e 5
2007 – Pintura do trabalho do artista Clorindo Testa – Bienal do Fim do Mundo – Ushuaia, Argentina
2003/2008 – Produtora executiva – Arte3
2003/2007 – Publicação de ilustrações nas revistas Simples e Mag!
2003/2007 – Criação de estampas para marcas: Alexandre Herchcovitch, Ellus, Neon, Cori e Amonstro
2003 – Pintura de um trabalho de Sol LeWitt na residência de Edemar Cid Ferreira – São Paulo
1999/2001 – Trabalhou com José Celso Martinez Corrêa no espetáculo Cacilda!

Currículo Resumido
Paula Garcia
São Paulo, 1975. Vive e trabalha em Nova Iorque.

Artista e pesquisadora é mestre em Artes Visuais pela FASM-SP e bacharel em Artes Plásticas pela FAAP. Suas pesquisas e experiências artísticas enfocam performance e curadoria em performance. Atua como artista, curadora independente e curadora de projetos do MAI – Marina Abramovic Institute. Principais exposições: Terra Comunal – Marina Abramovic + MAI – Curator: Marina Abramovic e Paula Garcia – SESC Pompéia, São Paulo. (2015); The artist is an explorer – Curador: Marina Abramovic / Beyeler Foundation – Basel (2014); The Big Bang : 7 Bienal El Museo del Barrio – Curadoria: Chus Martinez / Rocío Aranda-Alvarado / Raúl Zamudio – El Barrio Museum, New York (2013/2014); The 19th Annual Watermill Center Summer Benefit – Walter Mill, New York (2012); 17º Festival Internacional de Arte Contemporânea Videobrasil_SESC no SESC Belenzinho – SP; Performa Paço no Paço das Artes – SP (2011); 6a Edição da Mostra Anual de Performance na Galeria Vermelho – SP (2010); “Galeria Expandida” na Luciana Brito Galeria – SP (2010) ; “Variação” na Escola São Paulo (Projeto Encontros com Arte) (2009); Projeto Tripé / Vídeo no SESC Pompeia – SP (2008); Virada Cultural no SESC 24 de Maio – SP (2008); coletiva “Mostravideo” no Itaú Cultural de BH e PA, Escola São Paulo – SP (2007); mostra “Vorazes, grotescos e malvados”, no Paço das Artes – SP (2005).

Minha pesquisa como artista nos últimos anos consistiu em desenvolver um procedimento artístico que eu intitulei Corpo Ruído. Esta prática opera com a capacidade daqueles dispositivos dos sentidos que podem gerar uma desestabilização da idéia de um corpo que experimenta. Optei por operar nos dispositivos acima mencionados, porque estes últimos são capazes de produzir distorções que podem afetar a compreensão usual de uma experiência, trazendo uma experiência perceptiva alternativa de um ambiente. Na minha prática eu criei uma série de performances em que eu cubro todo o meu corpo com ímãs muito fortes, enquanto outros artistas tocam esses imãs com pedaços de ferro industriais até o meu corpo desaparecer sob esse lixo e espaços inteiros imantados onde performa dentro. O conceito de “Noise Body” representa um corpo que é definido por uma soma de três fatores: precariedade, incerteza e risco. Os ímãs são elementos do meu trabalho que servem para discutir o conceito de forças. Não apenas do tipo subjetivo invisível, mas também do tipo mais evidente de forças sociais que trabalham para consolidar um sistema de poder que acaba moldando coisas como corpos, sentimentos, subjetividades e verdades. Nessas performances eu tento mostrar corpos desmontados, desmoronando. Em última análise, o que proponho em minhas ações é um uso performativo do meu corpo como “suporte material no qual as formas de conflito são inscritas”.

Em 2010, concentrei-me mais nos estudos e práticas curatoriais, combinando minha pesquisa artística, desenvolvendo projetos e pesquisas em conjunto com curadores de performance, como Marina Abramovic, Robert Wilson, Christine Mello e Chuz Martinez. Trabalhando em espaços importantes, como a Fundação Beyeler, o Watermill Center, SESC Pompeia, SP-arte  e outros espaços no Brasil, Europa e Ásia.

O exercício curatorial e a prática tornaram-se uma importante área de interesse para mim, pois vi uma maneira de tornar viável e viável apresentar projetos de vários artistas que eu vinha acompanhando ao longo dos anos – operadores de uma linguagem (performance) ainda ostracizada do grande circuito – considerando o que tenho visto nos últimos anos. Em 2014 me tornei curadora associada do Instituto Marina Abramovic (MAI), no qual tive a oportunidade de curar e produzir importantes projetos junto a artistas e curadores internacionais e ainda mais, experimentando formatos de exposições, que acredito serem mais alinhados a valorizar as experiências artísticas, como fizemos em projetos como o TERRA COMUNAL | Marina Abramovic + MAI em São Paulo (Brasil / 2015), NEON + MAI | AS ONE realizado em Atenas (Grécia / 2016) e A Possible Island? realizada em Bangkok (Tailândia / 2018). Nesses projetos, trabalhei de perto com um grupo total de mais de quarenta artistas de diferentes partes do mundo.

Pesquisando, produzindo e curando, seja com o MAI ou em projetos independentes em parceria com centros culturais internacionais e instituições de arte, eu me dediquei a manter um profundo exercício de promoção do diálogo e uma abordagem afetiva e profissional com artistas e entre artistas. A expansão do potencial e formato de cada projeto de exposição, comissionamento e exibição de obras performáticas, aproveitando essas oportunidades, estimulando um diálogo próximo e intercâmbio artístico entre artistas (curador-artista, artista-artista) tornou-se minha principal motivação para cultivar meu trabalho. curadoria de pesquisa e trabalho, que ao longo dos anos me permitiu estabelecer e promover uma ampla rede de artistas performáticos e curadores, atuantes em diversas partes do mundo.